domingo, março 29, 2009

Caso Clínico 07/09 - Eclampsia em cadela


Apresentou-se no Centro Veterinário de Estremoz uma cadela chamda Bolinha com 2 anos de idade e raça indeterminada com tremores generalizados, taquipneia, taquicardia, hipertermia e descoordenada.

A Bolinha tinha tido 7 cachorros à cerca de 1 mês e apresentava uma galactorreia intensa, tratava-se então de uma situação de Eclampsia.




A Bolinha foi colocada a soro e recebeu cálcio lentamente na veia, até reverter os sintomas. No final de 20 minutos já estava mais alerta e já se colocava de pé. Estava sem taquipneia e taquicardia.

Foi para casa com suplementação em cálcio, inibidores da produção de leite e procedeu-se ao desmame precoce dos cachorros.

sábado, março 28, 2009

Não abadone o seu melhor amigo

Descodificar Termos Veterinários - Os Grandes Palavrões



Como o inquérito 03/09 foi relacionado com a gestação, aqui vão alguns termos veterinários para descodificar!

Pseudogestação - ocorre quando a cadela/gata apresentam todos os sinais de estarem grávidas mas de facto não estão. Também designada por gravidez psicológica.

Os sinais são semelhantes a um gestação: o abdómen aumentada de tamanho, aumento das glândulas mamárias com produção de leite e comportamento maternal ( os bonecos, meias, bolas, etc. são considerados e tratados como bébes).

O tempo de pseudogestação é muito semelhante ao tempo de gestação normal mas ligeiramente mais curto.


Galactorreia - este termo refere-se à produção de leite pelas glândulas mamárias podendo ser normal, numa situação de gestação como poderá ser indicativo de alterações patológicas, nomeadamente de pseudogestação.


Distócia - ou parto distócito, significa que o parto não se realiza de forma normal por problemas quer maternais quer fetais.

Como causas maternais saliento a incapacidade de contracção uterina (sobretudo em cadelas mais velhas), anomalias da morfologia genital da mãe, cadelas ou gatas que tiveram fractura de bacia e têm maus alinhamentos do canal cervical ou incapacidade de promover o alargamento do canal cervical e este ser pequeno para a passagem do feto (por ex. deficiência em cálcio).

A má posição do cachorro no canal cervical, más formações congénitas 4 cães demasiado grandes para o canal cervical ( resultantes de cruzas entre cadela pequenas e cãs grandes) poderão dificultar o parto, tendo por vezes de se realizar cesariana.


Eclampsia - é causada pelo baixo teor no sangue no cálcio, que pode ocorrer na altura do parto podendo aparecer até às 3 semanas pós-parto. Este baixamento tem a ver com as alterações hormonais decorrentes da gestação com a produção de leite. As mães mobilizam as suas reservas de cálcio para a produção de leite, quando esta mobilização é excessiva esta reflecte-se pela falta de cálcio no sangue com consequências adversas no parto ( dificuldade na abertura do canal cervical), bem como de alterações como taquicardia, febre, taquipneia, inquietação podendo até ocasionar episódios convulsivos e mesmo a morte do animal.

A suplementação alimentar das fêmeas gestante é fundamental! Recomendo que as fêmeas em gestação e lactação se alimentem com ração de cachorrinho ou gatinho, que são mais ricos em cálcio, de forma a evitar a eclampsia.

Cadelas com
história de episódios de eclampsia deverão ser suplementadas com cálcio durante a gestação e lactação.





Resultado do Inquérito 03/09


Em relação ao inquérito " Qual o tempo de gestação de uma cadela?", a maioria acertou, trata-se de uma gestação de cerca de 2 meses, variando entre 56 a 63 dias.

Ah! É verdade o tempo de gestação das gatas é muito semelhantes ao das cadelas.

Muito obrigada pela vossa votação e conto convosco para o novo desafio.

quarta-feira, março 04, 2009

Caso Clínico 03/09 - Ingestão de um corpo estranho por uma gata (II)


Este foi o ornamento que a Rom-rom deliciou-se a "comer"... sua marota...

Caso Clínico 06/09 - Efeitos da não administração correcta do fenobarbital em cão

video



Este é o Pombinho um pinscher com 9 meses de idade que têm epilepsia. A dona dele é muito velhinha e de x em quando esquecia-se de dar a medicação para a epilepsia ao Pombinho.
O primeiro video demonstra como os animais podem desenvolver sinais neurológicos se a medicação para a epilepsia é dada de forma descontinuada.


video
No dia seguinte, após medicação apropriada, o Pombinho já tinha mais equilibrio e andava já sem dificuldades!
Este é um apelo para donos que têm animais que têm doenças crónicas nas quais há necessidade de administrar o animal medicamentos com toma diária: as variações da toma do medicamento fazem com que a doença não esteja controlada e, como tal, poderão surgir os sinais clínicos da mesma.
No caso da epilepsia é necessário haver uma dose de manutenção no sangue do medicamento de forma a que este tenha o efeito desejado e , quando há descontinuação da medicação, esta dose de manutenção desce de uma forma muito brusca provocando alterações no estado mental do animal bem como na forma de andar.

Porquê esterilizar o meu animal de estimação?

Caso ainda haja alguma dúvida sobre esta matéria aconselho vivamente a leitura deste site que lhe vai tirar todas as dúvidas e quebrar mitos associados ao acto de esterilizar o seu animal de estimação.


http://www.esteriliza-me.org


terça-feira, março 03, 2009

Caso Clínico 04/09 - Hiperplasia quística da próstata de um cão

Apresentou-se à consulta no Centro Veterinário de Estremoz um cão de raça indeterminada de 8 anos de seu nome Óscar, com a queixa de anorexia, apatia e micção às pinguinhas com sangue.

Ao exame físico o Óscar apresentava febre e dor abdominal aguda. Realizou-se um Rx e observou-se que apresentava uma próstata aumentada , parecendo do tamanho da bexiga.



Foram feitas análises ao sangue , onde se detectou uma infecção aguda que se combateu e foi-lhe administrado um fármaco para ajudar a diminuir o tamanho da próstata, antes de passarmos ao tratamento cirúrgico: castração.



Esta é a próstata após a cirurgia. Com a medicação instituída os resultados são muito animadores já que a próstata está mais reduzida e o cão mais bem disposto e a comer bem.


Este é o tamanho da próstata uma semana após a cirurgia, continua a diminuir de tamanho e é visível a presença de um quisto.

O Óscar está a ser vigiado e daqui a 1 mês voltamos a ver os seus progressos.

Caso Clínico 03/09 - Ingestão de um corpo estranho por uma gata


Apresentou-se à consulta no Centro Veterinário de Vila Viçosa uma gatinha chamada Rom-rom que tinha história de ter vomitado um objecto estranho.

À observação verificou-se que se tratava de um ornamento de uma almofada. Fez-se um Rx de contraste para verificar se ela tinha engolido mais coisas ou se tinha conseguido vomitar o ornamento por completo.


Felizmente a Rom-rom está bem e não apresentava qualquer vestígio de restos de fio no tracto gastrointestinal.

Para a semana mostro o ornamento que ela vomitou era enorme!

Caso Clínico 02/09 - Edema Cervical e do focinho de uma cadela mordida (II)



Aqui está a nossa amiga Sissi que veio ao acompanhamento. Já está como nova!

Resultado do Inquérito 02/09



A maioria dos participantes acertou no último inquérito visto que a poliúria ( aumento da frequência da micção ) e polidipsia ( aumento da ingestão de água ), poderão estar associadas à diabetes mellitus, piómetra, sindrome de cushing( hiperadrenocorticismo) e insuficiência renal.

Obrigada pela vossa participação.